jovens e policiais_site

Jovens e Policiais: um diálogo possível?

O Documentário “Jovens e Policiais: um diálogo possível?” apresenta fragmentos do debate organizado e mediado pelas professoras Haydée Caruso, Silvia Ramos e Yuri de Moraes, ocorrido no 10º Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e realizado na Universidade de Brasília, em 2016. O objetivo foi promover uma roda de conversa entre jovens e policiais, como parte dos esforços do FBSP em ampliar o necessário e crucial diálogo entre as instituições policias com a sociedade civil. Os jovens e policiais presentes falaram sobre suas experiências de vida, compartilharam angústias, violência, desafios, abusos e preconceitos que marcam suas interações no quotidiano. As narrativas explicitam a necessidade de escutarmos – uns aos outros – como um primeiro passo na busca de construir diálogos possíveis entre jovens e policiais para uma sociedade mais livre e justa para todas e todos.

Prevenção da Violência entre Adolescentes e Jovens no Brasil – Estratégias de Atuação – Relatório Sou da Paz

Este relatório tem como objetivo apresentar o processo e os resultados da primeira fase do Eixo 03 do Projeto Prevenção da Violência entre Adolescentes e Jovens no Brasil: Estratégias de Atuação. Este Eixo objetiva pensar e executar estratégias para: Contribuir para o aprimoramento e o desenvolvimento de projetos e políticas de prevenção a violência na adolescência e juventude, por meio da disseminação de conhecimentos para gestores públicos e de organizações da sociedade civil que trabalham com adolescentes e jovens.

Cartilhas temáticas – Polícia e Juventude – novas abordagens sobre prevenção e violência entre jovens

Esta cartilha reúne conhecimentos teóricos e práticos para orientar e inspirar a realização de projetos de prevenção da violência entre jovens. Ela fornece subsídios para abordar os principais conflitos e manifestações de violência existentes nas escolas,  discutir as principais relações estabelecidas entre os diferentes atores escolares (instituição, estudantes, professores, direção e equipe técnica, funcionários, família e comunidade) e as responsabilidades no desenvolvimento de ações de prevenção da violência e convivência pacífica nas escolas e fazer recomendações e sugerir estratégias e experiências realizadas em comunidades marcadas por altos índices de violência, pautadas na resolução pacífica de conflitos, no diálogo e na participação.

Sistematizacao experiencias prevencao violencia entre jovens_1_site

Relatório de sistematização de experiências de prevenção à violência entre jovens

O presente documento constitui o relatório final do Eixo 2 do projeto Prevenção da violência entre adolescentes e jovens no Brasil: estratégias de atuação. Este relatório final concentra os principais achados da pesquisa, as recorrências, os temas sobre os quais se deve refletir mais profundamente e as orientações para se prevenir a violência entre jovens. Trata-se de um material inédito no país que visa servir de guia para as experiências em curso e as demais ações que estão por vir para enfrentar o grave problema da violência que vitimiza os jovens brasileiros alcancem o objetivo de tornar o Brasil um lugar seguro para a juventude.

Diretrizes projetos prevencao violencia entre jovens_1_site

Diretrizes para projetos de prevenção à violência entre jovens

Este relatório abarca as Diretrizes para Projetos de Prevenção à Violência entre Jovens. Os subsídios para as Diretrizes para Projetos de Prevenção à Violência entre Jovens apresentadas neste documento foram retirados da pesquisa realizada no Eixo 2 “Sistematização de Experiências de Prevenção à Violência entre Jovens” do Projeto Juventude e Prevenção da Violência.

IVJ – Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência -Violência

Este estudo reúne uma série de variáveis que são mobilizadas na explicação da associação e envolvimentos de jovens com a violência, organizadas de modo a dar um retrato da situação encontrada em municípios com mais de 100 mil habitantes. O IVJ-Violência permite, basicamente, analisar condições de vida da população jovem desses municípios, instrumentalizando os gestores de políticas de prevenção com informações capazes de aumentar a eficiência de suas ações.

Atlas da violência 2016

Nota Técnica analisa os dados preliminares do Datasus (2014) sobre a evolução dos homicídios por macrorregiões, unidades da federação e microrregiões, em decorrência de armas de fogo, por violência policial, e sobre os homicídios de afrodescendentes, mulheres e jovens.

IVJ – Índice de vulnerabilidade juvenil à violência e desigualdade racial 2014

A publicação traz dois indicadores sintéticos. O IVJ – Violência, leva em conta quatro dimensões: violência entre os jovens, frequência à escola e situação de emprego, pobreza no município e escolaridade e tem como seu universo de análise municípios com mais de 100 mil habitantes. Já o IVJ – Violência e Desigualdade Racial considera o risco relativo de jovens negros e brancos serem vítimas de assassinatos, tendo as UFs como unidade de análise.